Transportadora Agrega Fiorino

Transportadora Agrega Fiorino

Sempre que procuro escrever para as empresas que desejam Agregar Fiorino ou Transportadora que deseja agregar Utilitários fico pensativo sobre os pobres coitados que possuem Fiorinos, Vans, Ducatos, e Komis com idade acima de 10 anos de uso! Pois Bem! As Empresas, embarcadores pedem ao menos 5 anos de uso e com toda a documentação em ordem tanto do veículo quanto do condutor! E esse cidadão não pode ter menos de 25 anos e nem tão pouco acima dos 45 anos!Transportadora Agrega Fiorino

Transportadora Agrega Fiorino





(Transportadora Agrega Fiorino oportunidade, temos vagas para proprietários de veiculos tipo Fiorino Sp menos de 5 anos de uso ver)

Em São Paulo Por exemplo recebo diariamente diversos e-mails solicitando informações para:

→ agregar fiorino na natura
→ agrega se fiorino em guarulhos
→ agregar fiorino no abc
→ agregar fiorino nos correios
→ agregar fiorino sp zona leste
→ agregar fiorino olx
→ agregar fiorino refrigerada
→ agregar fiorino na prefeitura sp

Como Agregar nas Vagas acima?

No caso da Natura o processo seletivo é mais rigoroso, eu sugiro que você tenha pelo menos alguèm lá com conhecimento mais amplo e assim conseguir saber o rotativo dos contratos, se bem que algumas empresas por exemplo a CEA, Lojas Mariza, Pernambucanas, preferem que as Oficinas de Costuras assuma o risco das entregas!
Lembro-me que um familiar possuia uma frota de Kombis 0 bala! (Leia-se pegava no tranco mesmo) e para efetuara as entregas tinhamos que parar nas ruas paralelas para não passar vergonha com o veiculo caindo pelas tampas!

Pré-requisitos para Agregar na Natura

DEFINIÇÕES …………………………………………………………………………………………
1. REQUISITOS LEGAIS ……………………………………………………………………..
2. REQUISITOS GERAIS ……………………………………………………………………..
3. INFRAESTRUTURA …………………………………………………………………………
4. COLETA ………………………………………………………………………………………
5. TRANSFERÊNCIA………………………………………………………………………….
6. TRIAGEM/ROTEIRIZAÇÃO …………………………………………………………….
7. DISTRIBUIÇÃO ……………………………………………………………………………
8. GESTÃO DE OCORRÊNCIAS ……………………………………………………………
9. ENVIO DE INFORMAÇÃO ……………………………………………………………….
10. RESPONSABILIDADE AMBIENTAL …………………………………………………..
11. SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO ………………………………………………
12. RESPONSABILIDADE SOCIAL …………………………………………………………
13. GERENCIAMENTO DE RISCO DO TRANSPORTE DE PRODUTOS NATURA ..37
14. REQUISITOS DE TRACKING …………………………………………………………..
DEFINIÇÕES
Operador Logístico Empresa especializada em transporte, movimentação,
armazenagem, controle de estoque e/ou processamento de
pedidos.
CD Centro de Distribuição
PA Posto Avançado
NF Nota Fiscal
Parceiro Terminologia para definir fornecedor de serviço.
CN Consultora Natura.
BOV Boletim de Ocorrência de Venda.
BOT Boletim de Ocorrência de Transporte.
Material / Produto Material todo item caracterizado como insumo para fabricação
(matéria-prima ou material de embalagem); Produto todo item
pronto para entrega à CN (produto acabado).
Colaborador Pessoa contratada pelo Operador Logístico para prestar serviço.
Prevenir Eliminar a ocorrência (objetivo de zero defeito).
Controle Garantir a qualidade e segurança do produto dentro das
especificações concordadas com a Natura.
Armazenamento / Estocagem Procedimento que possibilita o estoque ordenado e racional de
materiais ou produtos.
Limpeza Remoção de sujeira, resíduos de produtos, poeira, graxa e outros
materiais.
Contaminantes Quaisquer agentes microbiológicos, físicos ou químicos, ou outra
substância não intencionalmente colocada que possa comprometer
a qualidade ou segurança do produto.
FEFO (First to Expire First Out) Primeiro a Expirar – Primeiro a Sair.
FIFO (First In First Out) Primeiro que entra – Primeiro a Sair.
Tracking do Pedido Sistema de monitoramento de carga/pedidos por percurso
com sistema de baixa online.
CTN Central de Tracking Natura
Sistema de Transportes da
Natura (GKO)
Sistema de gerenciamento de fretes da NATURA;
2
Sistema de Transportes –
Transportation (SAP)
Sistema de Gerenciamento de Fretes Natura;
PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (Norma Trabalhista
– NR9)
PCMSO Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (Norma
Trabalhista – NR7).
SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em
Medicina do Trabalho (Norma Trabalhista – NR4).
CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Norma Trabalhista –
NR5).
Resíduo Sólido Todo material ou resto de material, cujo proprietário ou produtor
não mais o considera com valor suficiente para conservá-lo, sejam
eles de origem doméstica, hospitalar, comercial, de serviços, de
varrição e industrial.
Resíduos Classe I Resíduos sólidos, semi-sólidos, líquidos ou mistura de resíduos
que, em função de suas características de inflamabilidade,
corrosividade, reatividade, toxicidade e patogenicidade, podem
apresentar risco à saúde pública, provocando ou contribuindo para
um aumento de mortalidade ou incidência de doenças e/ou
apresentam efeitos adversos ao meio ambiente, quando
manuseados ou dispostos de forma inadequada. A caracterização
dos resíduos deverá seguir os requisitos das Normas Brasileiras
Regulamentares NBR 10004/5/6/7.
Resíduo Classe II – A São aqueles resíduos que não se enquadram nas classificações de
resíduos Classe I – perigosos ou de resíduos Classe II-B – Inertes,
conforme NBR 10004/5/6/7.
Resíduo Classe II – B Resíduos sólidos, semi-sólidos, líquidos ou mistura de resíduos
que, conforme teste de solubilidade não tiverem nenhum dos seus
constituintes solubilizados a concentrações superiores aos padrões
de portabilidade da água, conforme NBR 10004/5/6/7
Todo o parceiro deve possuir todos os documentos legais requeridos para a
operação da organização, bem como estabelecer um controle adequado para as
respectivas renovações.
 A transportadora deve possuir responsável técnico (Químico/Farmacêutico)
pelo menos por Regional.
Requisitos legais:
 Licenças sanitárias:
 Autorização de Funcionamento emitida pela ANVISA;
 Licença de Funcionamento emitida pelo Órgão Sanitário Municipal;
 Comprovação de Responsabilidade Técnica;
 Licenças ambientais:
 Licença de Operação emitida pelo Orgão Ambiental Estadual;
 Certificado de Vistoria da Instalação emitida pelo Corpo de Bombeiros;
 Normas do Ministério do Trabalho;

Para Saber mais Consultem o site da Natura